Apresentação qualificação de Mestrado

download Apresentação qualificação de Mestrado

of 24

  • date post

    02-Jun-2015
  • Category

    Documents

  • view

    1.731
  • download

    3

Embed Size (px)

description

Esse trabalho foi elaborado como pré-requisito para aquisição de Título de mestre em Educação

Transcript of Apresentação qualificação de Mestrado

  • 1. Mestrando: Lucas Leal Orientao: Digenes PinheiroAgncia financiadora: Capes-DSPrograma de Ps-graduao em Educao da UniversidadeFederal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)

2. C:UsersWindows 7DesktopCapacitao deProfessorescomerciais ZLIA DUNCAN (Msica: Tudo aqui quer merevelar) 3. Os primeiros Slides falei os motivos que mefizeram vir e entender melhor o RIO. Abaixo sim, os motivos que me fizeram ficar, ouseja, a pesquisa de mestrado. 4. Dedico o trabalho a Maria das Graas,minha me, pelo incentivo permanente... ...eao educador Paulo Freire por ter contribudo, atravs de suas obras, com as primeiras inquietaes para o surgimento destetrabalho. 5. Antes de tudo a Deus, que sempre acalmou meu coraoangustiado de tantas perguntas sem respostas...... a minha me, pelos longos conselhos durante esse tempo rduo de estudos... ... aos amigos do NUPEP, onde pude olhar para EJA, resultando no meu interesse pelo tema... ... aos amigos do curso de Histria que me ajudaram na graduao......aos amigos que fiz na ps-graduao, UFRPE, UNICAP e agora na UNIRIO, todos sempre tiveram muita pacinciapara uma convivncia harmoniosa... ... aos funcionrios de todas as Instituies, sempre tentei manter boas relaes com todos...... aos professores das Instituies pela dedicao e esclarecimentos durante o perodo de formao acadmica... ...em especial ao meu orientador e ao pessoal do projeto Universidade das Quebradas... ...os que conversei, os que entrevistei, como tambm aos proponentes do projeto, pela abertura e receptividade... ... aos amigos, principalmente os que fiz na UNIRIO... ...agradeo, por saber um por um que contribuiu... e por isso prefiro no citar nomes...pois foram muitos que pensaram positivamente e acreditaram que eu conseguiria... .. .aos que estiveram comigo nos melhores e nos piores momentos... Cada um sabe o quanto foi e ser parte do trabalho...... a CAPES... que parece um diabinho nos discursos dos ps-graduandos, mas, bem ou mal, forneceu bolsa de Demanda Social por mrito acadmico para o pesquisador em questo, possibilitando melhor qualidade ededicao ao trabalho acadmico!Muito Obrigado! 6. O papel da liderana revolucionria, emqualquer circunstncia, mais ainda nesta,est em estudar seriamente, enquanto atua,as razes desta ou daquela atitude dedesconfiana das massas e buscar os verdadeiros caminhos pelos quais possachegar comunho com elas. Comunho no sentido de ajud-las a que se ajudem na visualizao da realidade opressora que asfaz oprimidas... (Paulo Freire 2005c, pgina 190) 7. Esta pesquisa busca analisar aes do Projeto de Extenso Universitria Universidadedas Quebradas (UQ), da UFRJ, que desde 2010, forma gestores de cultura e arteperifrica. A pesquisa recebe financiamento da CAPES-DS nvel mestrado e apresentaresultados parciais. A coleta de dados foi feita por observao participante eentrevistas procedimentos filmados. Verificou-se no campo de investigao,metodologia pedaggica que se associa aos crculos de cultura espao para debate,reflexo e conscientizao com troca de conhecimentos em busca da transformaosocial prxis autntica (FREIRE, 2005c). Ao compreender a cultura na educao,atualizou-se o debate terico para pensar os efeitos, as formas de acesso e a inseroda cultura digital na contemporaneidade. Aborda-se, portanto, a cultura como recursoeconmico (YDICE, 2006); a fora da cultura digital (HOLLANDA, 2004) e o uso docinema no contexto da animao cultural (MELO, 2006). Na dissertao soelucidadas concepes do Plano Nacional de Extenso Universitria (PNEU) paraarticular questes de polticas pblicas (culturais) na educao com suasreivindicaes histricas, dos movimentos sociais e novas configuraes de acordocom as necessidades atuais.Palavras-chave: Extenso Universitria; Cultura; Cinema; Educao de jovens eadultos; Polticas Pblicas. 8. APRESENTAO -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 10 INTRODUO ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------ 13 1. POLTICAS PBLICAS PARA JOVENS E ADULTOS CADA VEZ MAIS JOVENS ---------------------------------- 15 1.1 Juventude e polticas pblicas (de acesso cultura): dialogando com os direitos humanos na perspectiva daeducao brasileira ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------ 19 1.2 Polticas para/de/pela Cultura: ----------------------------------------------------------------------------------------------------- 29 1.3 Os estudos culturais, a cultura digital e a animao cultural: algumas respostas? ----------------------------------- 33 1.4 Cultura(s) e arte(s): um (novo) debate sobre esttica(s) -------------------------------------------------------------------- 39 2. CULTURA (cinematogrfica) E/NA/COMO/PARA EDUCAO: UMA RELAO HISTRICA ------------------ 52 2.1 Desenvolvimento da cultura cinematogrfica: novas tecnologias para educao de jovens e adultos ---------- 58 2.2 Cinema e/ou filme: tecnologia e arte na educao de jovens e adultos -------------------------------------------------- 73 2.3 Entre polticas e prticas de atuais perspectivas para o cinema: Dialogando com a pedagogia do oprimido -- 87 3. EXTENSO UNIVERSITRIA: DESAFIOS E/OU PROBLEMTICAS ------------------------------------------------- 102 3.1 Trabalhando com os temas geradores em (atuais) sociedades opressoras: ---------------------------------------- 105 3.2 Formas de acesso da cultura contempornea pela Extenso Universitria: observaes sobre a Universidade dasQuebradas ----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 113 3.2.1 Pesquisa, formao e extenso: Caminhos para indissociabilidade no Ensino Superior? --------------------- 118 4. CONCLUSES PARCIAIS --------------------------------------------------------------------------------------------------------- 132 5. REFERNCIAS ------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------ 135 ANEXOS------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------- 145 9. CEBEU = Congresso Brasileiro de Extenso ONGS = Organizaes no governamentaisUniversitria ONU = Organizao das Naes Unidas CNPdC = Comisso Nacional dos Pontos de Cultura PACC = Programa Avanado de Cultura Contempornea Cepe = Conselho de Ensino, Pesquisa e Extenso. PCN = Parmetros Curriculares Nacionais Consun = Conselho Universitrio PDE = Plano de desenvolvimento da educao CPCs = Centros Populares de Cultura PDI = Plano de Desenvolvimento Institucional. EJA = Educao de Jovens e Adultos PNC = Plano Nacional de Cultura FORPROEXT = Frum de Pr-reitores de extenso PNEU = Plano Nacional de Extenso Universitria FUNDEB = Fundo de Manuteno e PME = Programa Mais EducaoDesenvolvimento da Educao Bsica SESu = Secretaria de Ensino Superior IBGE = Instituto Brasileiro de Geografia e Estatstica SNJ = Secretaria nacional de Juventude IES = Instituio de Ensino Superior TICs = Tecnologias da Informao e Comunicao LDB = Lei de Diretrizes e Base (Lei nmero 9394- UERJ = Universidade do Estado do Rio de Janeiro96) UFRJ = Universidade Federal do Rio de Janeiro MCPs = Movimentos de Cultura Popular UNIRIO = Universidade Federal do Estado do Rio de MEB = Movimento de Educao de base Janeiro MEC = Ministrio da Educao UQ = Universidade Das Quebradas MinC = Ministrio da Cultura WWW = Web World Wide 10. 1. POLTICAS PBLICAS PARA JOVENS E ADULTOS CADA VEZ MAIS JOVENS Andrade (2004) processo de juvenizao Bourdieu (1986) (FUNDAMENTAO MAIS PROFUNDA, POR CONTA DOS BENS CULTURAIS E O DEBATE SOBREARTE) Helena Abramo (2001) educao como bem cultural com maior status para juventude. Vieira Pinto (2005) sobre conceito de tecnologia 1.1 Juventude e polticas pblicas (de acesso cultura): dialogando com os direitoshumanos na perspectiva da educao brasileira (YDICE, 2006) cultura como recurso econmico (HOLLANDA, 2004) cultura digital e arte perifrica (MELO, 2002; 2004; 2006) - animao cultural e uso do cinema (ANDRADE 2004) - juvenizao da EJA (CURY, 2002) educao cidad (DIAS; FERREIRA; ALENCAR; ZENAIDE (ORG.) 2007) fundamentos terico-metodolgicos em direitos humanos (SPOSITO, 2003) - marginalizao e/ou violncia (RUA, 1998) - estado de coisas DE POLTICAS pblicas para juventude Comisso Nacional dos Pontos de Cultura (CNPdC) em 02 de setembro de 2009: Artigo 1Frum Nacional dosPontos de Cultura (Bourdieu, 1986) - bens de mercados simblicos (NOVAES, 2007) - visibilidade para as desigualdades sociais, culturais e de gnero. (DAYRELL, 2003)- pluralidade cada vez mais (re)afirmada pelas juventudes Organizao das Naes Unidas (ONU) em 1948 que a partir da Declarao Universal dos Direitos Humanos(1948), dos pactos efetuados em 1966 O Pacto Internacional dos Direitos Civis e Polticos e o PactoInternacional dos Direitos Econmicos, sociais e Culturais, juntamente com os protocolos facultativos, Pactodos Direitos Civis e Polticos (que em 1989 excluiu a pena de morte) formaram A Carta Internacional dosDireitos do Homem (e do cidado) documento fundamental na elaborao de novas perspectivas de polticaspblicas para as juventudes. 11. 1990, com a promulgao do Estatuto da Criana e do Adolescente (ECA) SPOSITO E CARRANO, 2003 mudanas de poder nas esferas pblicas atrapalham a instabilidade deprogramas e projetos. Site da Secretaria Nacional de Juventude do atual governo brasileiro indica na seo Marcos da PolticaNacional de Juventude. - http://www.juventude.gov.br/marcos 1.2 Polticas para/de/pela Cultura: FREIRE 2005C CNPdC, que, no Artigo3, aponta como objetivosespecficosdaentidade:http://www.cultura.gov.br/site/acesso-a-informacao/programas-e-acoes/cultura-viva/pontos-de-cultura-2/ ministrio da cultura em relao as suas metas, depois de ampla consulta pblica:http://www.cultura.gov.br/site/2011/