APARTAMENTO EM SÃO BERNARDO MPF classifica recibos ?ão... · MPF classifica recibos de Lula como

download APARTAMENTO EM SÃO BERNARDO MPF classifica recibos ?ão... · MPF classifica recibos de Lula como

of 1

  • date post

    18-Nov-2018
  • Category

    Documents

  • view

    218
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of APARTAMENTO EM SÃO BERNARDO MPF classifica recibos ?ão... · MPF classifica recibos de Lula como

  • Pas2 - Dirio Comercial - Sbado, 07, domingo, 08 e segunda-feira, 09 de outubro de 2017

    ADMINISTRAO, REDAO E DEPARTAMENTO COMERCIALRIO DE JANEIRO

    Rua Santa Luzia, 651 - 28 andar - parte - Centro - Rio de Janeiro - RJCEP: 20030-041 - Tel: (21) 2262-2906

    SO PAULOAv. Paulista, 1159 - 17 andar, conjunto 1716 - Bela Vista - So Paulo - SP

    CEP: 01311-200 - Tel: (11) 3283-3000

    REPRESENTANTE COMERCIALBraslia: LC Comunicao e Marketing - SEPS 709/909

    Ed. Fape - Sala 6A-6B - Asa SulTels: (61) 3711-8712 - e-mail: comercial@lccm.com.br

    DIRETORA DE REDAO E EDITORABruna Luz brunaluz@diariocomercial.com.br

    DIRETOR EXECUTIVOMarcos Luz marcosluz@diariocomercial.com.br

    SUCURSAIS Braslia: Ed. Serra Dourada, sala 612 - SCS - Tel: (61) 3321-2845

    Belo Horizonte: Av. lvares Cabral, 397 - salas 1001/1002Tel: (31) 3222-8427

    REDAO: Amanda Raiter amanda@diariocomercial.com.brDIGITAO, DIAGRAMAO E TRAT. DE IMAGENS: Flvio Passos flavio@diariocomercial.com.br Raquel Passos raquel@diariocomercial.com.br

    PUBLICIDADE: RJ - Luis Valladares luis@diariocomercial.com.br SP - Evandro Ciola evandro@diariocomercial.com.br

    As matrias assinadas so de responsabilidade dos autores e no representam necessariamente a opinio deste jornal.

    redacao@diariocomercial.com.br | administracao@diariocomercial.com.br | comercial@diariocomercial.com.br | comercialsp@diariocomercial.com.br | homepage: www.diariocomercial.com.br

    Propriedade do Jornal Dirio Comercial Ltda.

    SERVIO NOTICIOSO: Agncias: Estado, Brasil, PR Newswire, Senado e Cmara IMPRESSO: Grfica MEC Editora Ltda.Filiado :

    Acesse nossa edio digital:

    APARTAMENTO EM SO BERNARDO

    MPF classifica recibos de Lula como ideologicamente falsos e pede perciaMinistrio Pblico acusa o ex-presidente de receber vantagens indevidas oriundas de fraudes em contratos da Petrobras. Glaucos da Costa Marques, proprietrio do imvel, seria um laranja

    Em petio apresenta-da ao juiz federal Sr-gio Moro, a fora-tarefa da Operao Lava Jato afirma que os recibos de paga-mento de aluguel apresentados pela defesa do ex-presidente Luiz Incio Lula da Silva so ideologicamente falsos e fo-ram confeccionados aps o in-cio das investigaes para dar falso amparo locao simulada do apartamento vizinho quele em que mora o ex-presidente.

    No documento, o Ministrio Pblico Federal no Paran pede que os recibos passem por per-cia grafoscpica e que Glauco da Costa Marques, dono do imvel, e o tcnico em conta-

    bilidade Joo Muniz Leite, res-ponsvel pelos recibos, pres-tem depoimento. Os supos-tos 26 recibos referentes loca-o do apartamento 121 apre-sentados pela defesa de Luiz Incio Lula da Silva tm ori-gem desconhecida, no trazem nenhuma comprovao a res-peito da data em que foram produzidos e encontram-se em manifesta contrariedade com todo o acervo probat-rio, e, destacadamente, com o quanto declarou em interroga-trio judicial o prprio Glaucos da Costa Marques, apontado como autor daquelas declara-es unilaterais de quitao, diz trecho do pedido.

    O Ministrio Pblico acusa o ex-presidente de receber van-tagens indevidas oriundas de fraudes em contratos da Petro-bras. Para a fora-tarefa da Lava Jato, Lula seria o verdadeiro dono do apartamento vizinho ao dele, localizado em So Ber-nardo do Campo (SP). Glaucos da Costa Marques, proprietrio do imvel, seria um laranja.

    Glaucos da Costa Marques sobrinho do empresrio Jos Carlos Bumlai, amigo de Lula e preso na Lava Jato. Inicial-mente, o apartamento foi alu-gado pelo Gabinete de Segu-rana Institucional da Presidn-cia da Repblica, ainda quando Lula era chefe do governo, para

    ser usado pelos policiais res-ponsveis pela segurana do ento presidente. Depois que deixou o cargo, Lula decidiu assumir a locao do imvel, que tinha como locatria a ex--primeira dama Marisa Letcia, morta em fevereiro.

    Na petio, o MPF diz que recibos do pagamento do alu-guel no foram encontrados durante diligncias de busca e apreenso nos imveis rela-cionados a Lula e que s foram apresentados Justia na fase de diligncias complementares da ao penal, passados mais de nove meses do oferecimento da denncia. Tal panorama indica, sem margem dvida,

    que os recibos juntados pela defesa de Luiz Incio Lula da Silva so ideologicamente fal-sos, visto que simulada a rela-o locatcia representada pelo engendrado contrato de loca-o.

    J a defesa do ex-presidente argumenta que os recibos com-provam que o aluguel do im-vel foi uma relao contratual entre a famlia de Lula e Glau-cos da Costa Marques. Os advo-gados de Lula afirmam ainda que parentes e colaborado-res de Lula fizeram dilign-cias para encontrar os recibos aps pedido feito pelo juiz Sr-gio Moro durante depoimento prestado por Lula, em Curitiba.

    Diante do pedido expresso do juiz [Srgio Moro] em relao a esses recibos, foram realiza-das diligncias por familiares e colaboradores do ex-presi-dente Lula nos pertences de dona Marisa, que sempre foi a locadora do imvel. Os recibos foram encontrados e, da mesma forma que chegaram at ns [advogados], foram apresen-tados no processo. Acredita-mos que esses recibos expres-sam a verdade dos fatos, pois dona Marisa sempre foi uma mulher ntegra e honesta, disse o advogado Cristiano Zanin Martins, responsvel pela defesa de Lula, em vdeo publicado no Facebook.

    CASO ACIO

    Senado diz que afastamento inconstitucional ao STF

    O Senado enviou ontem ao Supremo Tribunal Federal (STF) parecer no qual sustenta que parlamentares no podem ser afastados do mandato por deciso judicial. A manifes-tao foi feita para subsidiar o julgamento previsto para a semana que vem, no qual a Corte julgar a necessidade ou no de aval do Legislativo para que o Judicirio possa aplicar medidas cautelares contra par-lamentares.

    O julgamento ser deci-sivo na reviso de deciso da Primeira Turma que afastou o senador Acio Neves (PSDB--MG) do mandato e determi-nou seu recolhimento noite.

    De acordo com a advo-cacia do Senado, a Consti-tuio no autoriza o afasta-

    mento ou a suspenso do man-dato de um parlamentar. Alm disso, segundo a Casa, todas as medidas cautelares penais direcionadas a parlamentares so inconstitucionais. A pre-viso constitucional da imuni-dade processual parlamentar garantia indispensvel ao livre e pleno desempenho da ativi-dade parlamentar, vinculada ao cargo ocupado e no pessoa do parlamentar, diz o parecer.

    Na prxima quarta-feira, o Supremo deve julgar uma ao direta de inconstitucio-nalidade protocolada pelo PP e pelo PSC para que a Corte declare que todas as medidas cautelares diversas da priso previstas no Cdigo de Pro-cesso Penal (CPP) precisam ser referendadas em 24 horas

    pela Cmara dos Deputados ou pelo Senado quando forem direcionadas a parlamentares.

    No dia 26 de setembro, a Primeira Turma do Supremo decidiu, por trs votos a dois, afastar o senador Acio Neves do exerccio de seu mandato e atendeu pedido de medida cau-telar solicitada pela Procurado-ria-Geral da Repblica (PGR) no inqurito em que o parla-mentar foi denunciado por cor-rupo passiva e obstruo de Justia, com base nas delaes premiadas da empresa JBS.

    O senador nega as acusa-es. Sua principal linha de defesa no processo a de que a quantia que recebeu de Joes-ley foi um emprstimo pes-soal, sendo uma operao sem nenhuma natureza ilegal.

    REDES SOCIAIS

    Temer vetar censura em artigo da reforma poltica

    O presidente Michel Temer vai vetar o artigo da reforma poltica que exige aos provedores de aplicativos e redes sociais a suspenso de publicao quando esta for denunciada por ser falsa ou incitar dio durante o pleito. A informao est em nota divulgada ontem pela Secre-taria Especial de Comunica-o Social da Presidncia da Repblica.

    O veto atende ao pedido feito pelo autor da emenda sobre o tema, deputado ureo (SD-RJ), aps o assunto pro-vocar polmica e ser apon-tado como uma forma de cen-sura. O deputado conversou com Temer, por telefone, na manh desta sexta-feira.

    Pelo texto, os provedores

    de aplicativos e redes sociais so obrigados a suspender a publicao quando for denunciada por ter informa-o falsa ou discurso de dio at que o autor seja identifi-cado. De acordo com o texto, no seria necessria autori-zao judicial para retirada de contedo. Caso seja con-firmado que se trata de um usurio real, a publicao seria liberada.

    O objetivo seria impedir que ataques de perfis falsos pudessem influir no resul-tado de eleies, conforme explicou o deputado ureo, em nota. Diante da polmica, ureo divulgou a nota expli-cando que no defende qual-quer tipo de censura e que a repercusso do caso pro-

    vou que o assunto precisa ser amplamente discutido. O parlamentar disse que, por isso, pediria o veto ao pre-sidente Temer. Precisamos ouvir melhor os cidados para construir um texto que pre-serve a livre manifestao do pensamento e, ao mesmo tempo, combata os crimino-sos que circulam nos meios digitais, registrou ureo.

    A Associao Brasileira de Internet (Abranet) repu-diou a emenda apresentada, que classificou de afronta ao ncleo da democracia. O projeto da reforma poltica foi aprovado pelo Congresso Nacional e precisa ser san-cionado ainda hoje pelo pre-sidente Michel Temer para valer para as eleies de 2018.

    CIA. BOZANOCNPJ/MF n 42.113.662/0001-18 - NIRE 33.300.055.622

    EDITAL DE CONVOCAO: Fi cam con vi da dos os Srs Aci o nis tas da CIA. Bo za no a se re u ni rem em AGE, na Rua Vis con de de Ouro Pre to, 5, 11 an dar, par te, Bo ta fo -go, RJ, no dia 17/10/17, em 1 Con vo ca o s 11hs, a fim de de li be rar so bre Re -nn cia de Di re tor. RJ, 02/10/17. Cia Bo za no. Ser gio Eral do de Sal les Pin to: Di re torPre si den te; Lu ci an ne Ni gri Fin kels zta in: Di re to ra Exe cu ti va.

    LIBRA TERMINAL RIO S.A.CNPJ 02.373.517/0001-51 - NIRE 33.300.167.269 - Cia Aberta

    Ata da