Aduba§£o cafeeiro )

download Aduba§£o cafeeiro     )

of 35

  • date post

    22-Jun-2015
  • Category

    Technology

  • view

    572
  • download

    7

Embed Size (px)

description

cultivo do cafe e aadubaçã

Transcript of Aduba§£o cafeeiro )

  • 1. 1 Paulo Tcito Gontijo Guimares, Antnio Wander R. Garcia, Victor Hugo Alvarez V., Luiz Carlos Prezotti, Arisson Siqueira Viana, Antnio Eustquio Miguel, Eurpedes Malavolta, Joo Batista Corra, Alfredo Scheid Lopes, Francisco Dias Nogueira, Alexandre Vieira Costa Monteiro. Produtividade mdia esperada de cafezais sob vrios sistemas de produo, populao de plantas e espaamentos. Sistema Populao Espaamento Produtividade mdia plantas/ha m sc/ha Tradicional At 2.500 3,5 a 4,0 x 1,0 a 2,0 20 a 30 Semi-Adensado 2.500 a 5.000 2,5 a 4,0 x 0,5 a 1,0 30 a 40 Adensado 5.000 a 10.000 1,5 a 2,5 x 0,5 a 1,0 40 a 60 CALAGEM E ADUBAO DO CAFEEIRO 5a Aproximao

2. 2 ANTES DA IMPLANTAO DA LAVOURA LAVOURAS IMPLANTADAS Camada de 0 a 20 e 20 a 40 cm. Nesta ltima determinar: (pH, Ca+2 , Mg+2 , K+ , Al+3 , t e valor m) no subsolo, visando orientar sobre a necessidade de correo diferenciada. Projeo da copa (local da aplicao dos fertilizantes); profundidade de 0 a 20 cm. Anual, a partir de 60 dias aps a ltima adubao ou feita aps a esparramao do cisco, preferencialmente: base para a prxima safra. De quatro em quatro anos, importante a anlise do solo de amostras coletadas no meio da rua ou entrelinhas, 0 a 20 cm e na profundidade de 20 a 40 cm sob a projeo da copa. Meio da rua: o grau de acidificao (geralmente menor do que sob a projeo da copa) e os teores de nutrientes (alguns elementos apresentam grandes variaes em funo da prtica da arruao) nas entrelinhas. Tambm neste intervalo de tempo, a anlise de amostras coletadas de 20 a 40 cm sob a projeo da copa tem por objetivo dar um indicativo da acidez e da lixiviao de nutrientes. AMOSTRAGEM DO SOLO 3. 3 A -Critrio de saturao por bases Elevar a saturao por bases (V) a 60% quando esta for inferior a 50%. B Critrio do Al3+ e do Ca2+ + Mg2+ Utilizando a equao: NC = Y [Al+3 ( mt . t / 100)] + [X (Ca+2 + Mg+2 )], onde: Y : varivel com a capacidade tampo da acidez do solo X : fator de exigncia de Ca + Mg = 3,5 mt : 25% Incorporado o mais profundo possvel, por ocasio da implantao da lavoura. reas j implantadas: calcular a quantidade de calcrio (QC) em funo da superfcie de aplicao (rea total ou faixa), da profundidade de incorporao (+ 7 cm) e do PRNT do calcrio. Lavouras novas ou com espaamentos mais largos: aplicado em faixa na projeo da copa, por nela estar concentrado quase todo o sistema radicular e ser maior o grau de acidificao. Em lavouras com espaamentos mais adensados, a aplicao deve ser feita sobre toda a superfcie do terreno. Em reas acidentadas: aplicado na cova e, superficialmente, na faixa de plantio, que ampliada medida que o cafeeiro for crescendo. CALAGEM 4. 4 B Critrio do Al3+ e do Ca2+ + Mg2+ NC (t/ha) = Y [Al+3 ( mt . t / 100)] + [X (Ca+2 + Mg+2 )] em que: Y : varivel com a capacidade tampo da acidez do solo (0 a 1 = arenoso; 1 a 2 = textura mdia; 2 a 3 = argiloso; 3 a 4 = muito argiloso) X : fator de exigncia de Ca + Mg = 3,5 mt : mxima saturao de Al3+ tolerada pelo cafeeiro (25%) NC (t/ha) = 3 [0,8 ( 25 . 1,01 / 100)] + (3,5 0,2) = 4,94 t/ha A - Critrio de saturao por bases Elevar a saturao por bases (V) a 60% quando esta for inferior a 50%. NC (t/ha) = T (Ve Va)/100, em que: T = CTC a pH 7 = SB + (H + Al) em cmolc/dm3 Va = Saturao de bases atual do solo = 100 SB/T, em % Ve = Saturao de bases desejada (Caf = 60%) NC (t/ha) = 8,01 (60 2,6)/100 = 4,6 t/ha Exemplo: Solo com 60% de argila, 0,8 cmolc Al3 +/dm3 , 0,1 cmolc Ca2+ /dm3 e 0,1 cmolc Mg2+ /dm3 ., SB = 0,21 cmolc /dm3 , t = 1,01 cmolc /dm3 ,T = 8,01 cmolc /dm3 , V = 2,6% CALAGEM 5. 5 Considerando a melhoria do ambiente radicular em profundidade e a impossibilidade de incorporao do calcrio em lavouras j implantadas, o gesso passa a ser recomendado nas seguintes situaes: quando a camada subsuperficial (20 a 40 cm) apresentar: um teor inferior ou igual a 0,4 cmolc Ca2+ /dm3 e, ou, superior a 0,5 cmolc Al3+ /dm3 e, ou, saturao por Al3+ (m) superior a 30 %. RECOMENDAO DE DOSES PARA CAMADAS DE 20 cm DE ESPESSURA A) Necessidade de gesso de acordo com o teor de argila de uma camada subsuperficial de 20 cm de espessura Argila) Necessidade de gesso % t/ha 0 15 0,0 0,4 15 35 0,4 0,8 35 60 0,8 1,2 60 100 1,2 1,6 GESSAGEM 6. 6 GESSAGEM RECOMENDAO DE DOSES PARA CAMADAS DE 20 cm DE ESPESSURA B) Necessidade de gesso de acordo com o valor de P-remanescente de uma camada subsuperficial de 20 cm de espessura. Necessidade de gesso P-remanescente Ca 1 Gesso 2 mg/L kg/ha t/ha 0 a 4 315 a 250 1,68 a 1,33 4 a 10 250 a 190 1,33 a 1,01 10 a 19 190 a 135 1,01 a 0,72 19 a 30 135 a 85 0,72 a 0,45 30 a 44 85 a 40 0,45 a 0,21 44 a 60 40 a 0 0,21 a 0,00 1 Valores de necessidade de gesso adaptados dos de Souza et al. (1992), para que o Ca2+ retido na camada de 20 cm de espessura esteja em equilbrio com a concentrao de 0,394 mmol/L de Ca na soluo do solo. 2 Gesso agrcola (15 dag/kg de S e 18,75 dag/kg de Ca). 7. 7 GESSAGEM C) Necessidade de gesso com base no mtodo do Al3+ e do Ca2+ + Mg2+ e pelo mtodo de saturao por bases Exemplo: Deseja-se a melhoria do ambiente radicular da camada de 25 a 60 cm de profundidade, que apresentou necessidade de calcrio de 4,8 t/ha: A necessidade de gesso (NG) ser: NG = 0,25 x 4,8 = 1,2 t/ha A quantidade de gesso (QG) para a camada de 25 a 60cm ou de 35 cm de espessura ser: QG = 1,2 x 35/20 = 2,1 t/ha 8. 8 ADUBAO VERDE Leguminosas antes do plantio dos cafeeiros, aps a calagem e o preparo do solo, com incorporao destas no florescimento. Lavouras j implantadas pelo cultivo do mato e seu manejo, com uso de roadeiras e herbicidas de contato. O resduo das arruaes e a calagem nas entrelinhas, proporcionam bom desenvolvimento de mato para ser manejado, formando um mulching, ou cobertura morta, protegendo o solo e incorporando matria orgnica. ADUBAO ORGNICA Os adubos orgnicos disponveis na propriedade podem ser usados, considerando os nutrientes neles contidos, conforme as seguintes opes: Esterco de curral: 3 a 5 kg/cova; 7,0 a 15,0 L/cova Esterco de galinha: 1 a 2 kg /cova; 1,5 a 3,0 L/cova Torta de mamona: 0,5 a 1 kg /cova; 1,0 a 2,0 L/cova Palha de caf: 1 a 2 kg /cova; 5,0 a 10,0 L/cova Para um metro de sulco estas quantidades so multiplicadas por 2,5. O uso de matria orgnica na cova do plantio, excluindo o esterco de curral, exige um intervalo de 30 a 60 dias entre o enchimento da cova e o plantio das mudas. 9. 9 CALAGEM Caso j se tenha incorporado calcrio na rea de plantio, comumente de 0 a 20 cm, a quantidade de calcrio complementar recomendada para aplicao na cova ou no sulco de plantio deve ser reduzida metade (quantidade para a camada de 20 a 40 cm, dos 40 cm da cova ou do sulco). Este calcrio complementar na cova ou sulco de plantio pode ter uma granulometria mais grosseira, corrigindo-se, no entanto, o PRNT para 100 %. -Clculo da quantidade de calcrio complementar recomendada, por exemplo, para covas deClculo da quantidade de calcrio complementar recomendada, por exemplo, para covas de 40 x 40 x 4040 x 40 x 40 cm (64 dm3 de solode solo), supondo uma necessidade de calagem (NC) desupondo uma necessidade de calagem (NC) de 3 t/ha: Quantidade de calcrio complementar (g/cova) = = NC (t/ha) x Volume do solo da cova ou sulco (dm3 ) 2 QC (g/covacova) = (3 t x 64 dm3 ) 2 = 192 g 2 200 g 2 = 100 g/covacova (para um metro de sulco, multiplicar a quantidade do exemplo por 2,5, 100 x 2,5 = 250 g/m de calcrio no sulco). ADUBAO DE PLANTIO 10. 10 Classes de fertilidade de P, para implantao da lavoura de caf, em funo do teor de argila ou do valor de fsforo remanescente (P-rem) e, dose de P2O5 a ser aplicada na cova de plantio Classes de Fertilidade Caracterstica Muito baixo Baixo Mdio Bom Muito bom Argila Teor de P no solo1/ (%) ---------------------------------------------------(mg/dm3 ) ----------------------------------------- 100 60 < 8,0 8,1 - 16,0 16,1 - 24,0 24,1 - 36,0 > 36,0 60 35 < 12,0 12,1 - 24,0 24,1 - 36,0 36,1 - 54,0 > 54,0 35 15 < 20,0 20,1 - 36,0 36,1 - 60,0 60,1 - 90,0 > 90,0 15 0 < 30,0 30,1 - 60,0 60,1 - 90,0 90,1-135,0 > 135,0 P-remanescente (mg/L) 0 4 < 9,0 9,1 - 13,0 13,1 - 18,0 18,1 - 24,0 > 24,0 4 10 < 12,0 12,1 - 18,0 18,1 - 25,0 25,1 - 37,5 > 37,5 10 19 < 18,0 18,1 - 25,0 25,1 - 34,2 34,3 - 52,5 > 52,5 19 30 < 24,0 24,1 - 34,2 34,3- 47,4 47,5 - 72,0 > 72,0 30 44 < 33,0 33,1 - 47,4 47,5 - 65,4 65,5 - 99,0 > 99,0 44 60 < 45,0 45,1 - 65,4 65,5 - 90,0 90,1 - 135,0 > 135,0 Dose de P2O5 -----------------------------------------------(g/cova)------------------------------------------------ Dose para plantio 80 65 50 35 20 1/ Valores superiores em trs vezes os nveis de P apresentados no Quadro 5.3 do Cap. 5. 11. 11 ALGUNS COMENTRIOS Sugere-se o uso de 200 a 400 g/cova ou metro de sulco de fosfato natural importado de maior reatividade ou o nacional pouco reativo. Calcular a quantidade de P2O5 disponvel adicionado com o fosfato natural, completando dose de P2O5 a ser aplicada com uma fonte mais solvel (superfosfato simples, termofosfato, etc.). Incorpor-los terra de enchimento da cova juntamente com os adubos, orgnico e minerais, o calcrio complementar da cova e o gesso agrcola, nos solos que apresentarem, na camada subsuperficial, necessidades conforme os critrios de uso deste insumo ou na quantidade de 200 a 300 g/cova ou metro de sulco. 12. 12 ADUBAO PS-PLANTIO EM COBERTURA Aps o pegamento das mudas. Aplicar em crculo, afastados, no mnimo, 5 cm do caule. Classes de Fertilidade Baixo Mdio Bom Muito Bom Teor de K no solo ------------------------------------------------mg/dm3 ---------------------------------------- < 60 60 120 120 200 > 200 Dose de K2O Dose de N -----------------------------------------------g/cova/ano------------------------------------ g/cova/aplicao 30 20 10 0 3 a 5 - Aplicar o nitrognio em cobertura, a intervalos de 30 a 45 dias, a partir do plantio at o final das chuvas, evitando-se atingir a planta. - A adubao potssica em cobertur