Aditivos Alimentares

download Aditivos Alimentares

of 19

  • date post

    12-Jun-2015
  • Category

    Documents

  • view

    9.396
  • download

    0

Embed Size (px)

description

TRABALHO ESCOLAR DE ADRIANA RAMOS PEREIRA

Transcript of Aditivos Alimentares

ADITIVOS ALIMENTARESSO REALMENTE NECESSRIOS? O uso de aditivos ascende aos tempos mais remotos da histria da Humanidade. J na Antiguidade se usavam diversas substncias, como o fumo, o sal, as leveduras ou o vinagre, para conservar e melhorar os alimentos, substncias s quais hoje em dia chamaramos aditivos. Actualmente, a cadeia alimentar cada vez mais longa, sendo necessrio prolongar a vida dos alimentos; por outro, a crescente procura de alimentos prcozinhados torna necessrio o seu tratamento e conservao. O QUE SO OS ADITIVOS? Os aditivos so substncias que se acrescentam intencionalmente aos alimentos, durante a respectiva elaborao, para melhorar algumas das suas caractersticas, sem alterar o seu valor nutritivo.

VIGIAR OS ADITIVOS Os organismos sanitrios, atravs de controlos e anlises, elaboram as chamadas listas positivas, especficas para cada alimento, nas quais se indica a quantidade mxima que pode ser adicionada, com a garantia de ausncia de nocividade, isto , ausncia de perigo. Est proibido o uso de qualquer outra substncia que no aparea nessas listas oficiais. As listas so abertas, o que significa, em qualquer momento, pode eliminar-se um aditivo ou incluir-se um novo. Para conseguir um mximo de segurana, estabelece-se um ndice denominado IDA Ingesto Diria Admissvel -, que a quantidade mxima de um dado aditivo que uma pessoa pode tomar diariamente, durante toda a sua vida, sem que isso represente um risco importante para a sua sade. Os aditivos no devem ser confundidos com os contaminantes nem com os resduos, cuja presena indesejada nos alimentos, surgindo por contacto destes com o meio

ambiente. So os casos do cdmio, do chumbo, do mercrio, dos pesticidas nos vegetais e dos resduos de antibiticos e hormonas nos animais. Uma substncia pode ser admitida como aditivo alimentar mas essa admisso no definitiva, pois podem surgir novos dados indicando a sua toxicidade e determinaram a sua excluso dos aditivos permitidos. As substncias proibidas ou permitidas so definidas pela FOOD AND AGRICULTURE ORGANIZATION (FAO) e pela ORGANIZAO MUNDIAL DE SADE (OMS). Podem ingerir-se diariamente mais de 3000 aditivos diferentes.

O QUE SE DEVE FAZER? Segundo a finalidade dos aditivos podemos classific-los em trs grandes categorias: Os que asseguram a conservao so os conservantes e os antioxidantes, os quais evitam as alteraes biolgicas e qumicas dos alimentos e prolongam a sua vida til. Os que modificam as caractersticas fsicas, isto , tornam mais apetecveis os alimentos. So: - os modificadores da cor ou corantes, que se usam para dar cor ou reforar a cor natural dos alimentos;

- os modificadores do sabor, destacando-se o sabor cido que tambm ajuda conservao; - os modificadores do odor, agentes aromticos que modificam o aroma dos alimentos e so usados em confeitaria, pastelaria e nas bolachas; - os modificadores da textura, como os espessantes, os gelificantes, os anticoagulantes, os anticondensantes e outros que do bom aspecto e consistncia ao alimento. Os coadjuvantes tecnolgicos que facilitam a elaborao do alimento destacando-se os branqueantes, os clarificantes ou os gasificantes. COMO RECONHECER OS ADITIVOS Podemos reconhecer os aditivos na etiqueta de um produto: pelo nome, quase sempre extenso e complicado por serem compostos qumicos pela letra E, seguida de um nmero, frmula fixada por uma directiva da Unio Europeia. Em geral, estes so os cdigos dos aditivos: corantes: E-100 a E-180 conservantes: E-200 a E-290 antioxidantes: E-300 a E-390 emulsionantes, estabilizantes e espessantes: de E-399 a E-484 Os aroma s devem constar na etiqueta com o seu nome completo. Os corantes so, na sua maioria sintticos, so o grupo de aditivos mais desnecessrio, dado que apenas melhoram a apresentao.

Deste modo, muitos especialistas colocam a questo de se vale ou no a pena correr riscos.

A INFLUNCIA DOS ADITIVOS NA COMPRA O aspecto de um alimento de um alimento influencia a sua compra.

Para ultrapassar este problema, seria preciso educar o consumidor, para aprender a no relacionar a cor com o sabor. Por exemplo, os produtos com sabor a morango no tm, obrigatoriamente, de ser vermelhos nem os de menta de ser verdes. importante controlar o consumo excessivo de produtos corados, especialmente por parte das crianas.

OS ADITIVOS MAIS FREQUENTES

Os efeitos nocivos de alguns aditivos e, sobretudo, a constante descoberta de novos dados toxicolgicos, tm preocupado e feito desconfiar os consumidores. Assim, alguns fabricantes preferem no indicar o aditivo pelo seu nmero, mas sim pelo seu nome completo para que parea mais natural. Os aditivos, por muito naturais que sejam, no podem considerar-se nutrientes.

EXEMPLOS DE ADITIVOS CORANTES E-101 riboflavina (vitamina B2) E-140 clorofilas E-160 carotenides E-161 xantofilas E-162 vermelho-beterraba, betanina E-163 antocianina CONSERVANTES E-260 cido actico E-270 cido lctico E-280 cido propinico E-290 anidrido carbnico ANTIOXIDANTES E-300 cido ascrbico (vitamina C) E-307 alfatocoferol sinttico (vitamina E) E-222 sulfito cido de sdio E-330 cido ctrico ESTABILIZANTES, ESPESSANTES E GELIFICANTES E-406 gar-gar E-410 farinha de semente de alfarroba E-412 farinha de semente de cana E-414 goma arbica E-422 glicerol E-440 pectina

E-470 sais de sdio, de potssio e de clcio dos cidos gordos E-471 mono e diglicridos dos cidos gordos

ACIDULANTES E CORRECTORES DE ACIDEZ E-296 cido mlico E-297 cido fumrico E-363 cido sucnico E-375 cido nicotnico ANTIAGLOMERANTES E-570 cido esterico POTENTENCIADORES DO SABOR E-620 cido glutmico E-621 glutamato monossdico

ADOANTES E-951 asprtamo E-952 ciclamatos E-954 sacarina OS PERIGOS DOS ADITIVOS PERIGOS DOS CONSERVANTES podem bloquear o ferro da hemoglobina causam hipertenso desencadeiam alergias destroem a vitamina B1 podem formar produtos cancergenos PERIGOS DOS ANTIOXIDANTES os seus efeitos no so bem conhecidos podem causar problemas de pele em pessoas que trabalham em restaurantes e em certas indstrias PERIGOS DOS AJENTES DE TEXTURA provocam lceras na parede digestiva da cobaia e tumores no coln do rato desenvolvem alergias PERIGOS DOS CORANTES provocam alteraes celulares provoca alergias nas pessoas alrgicas aspirina

alguns corantes destroem a vitamina A PERIGOS DOS ADOANTES possibilidade de reaces com as sulfamidas fenmenos de fotossensibilidade suspeitas de o E-952 serem cancergenos PERIGOS DOS ACTIVADORES DE GOSTO neurotxico para pessoas sensveis provoca dores de cabea perda de sensibilidade facial secura na boca UM CONSELHO AOS CONSUMIDORES: Nem tudo o que luz ouro.

MODOS DE CONSERVAO DOS ALIMENTOS Actualmente, a sociedade compe-se de uma populao numerosa e crescente. Consomem-se grandes quantidades de alimentos que so melhorados para se poderem conservar, mesmo prejudicando a sua qualidade e trazendo problemas de sade para o consumidor. Diariamente, estamos rodeados de milhes de microorganismos que se instalam nos alimentos e os contaminam. A maior parte das vezes essa contaminao no se v e, s quando adoecemos e aparecem os sintomas que nos apercebemos da sua presena. Para que isso no acontea, recorre-se actualmente a processos eficientes de conservao dos alimentos, para que possam ser utilizados pelos consumidores. O mais antigo processo de conservao dos alimentos foi o sal, inventado pelos Romanos e por eles introduzido na Pennsula Ibrica e noutras partes do Mundo.

OS PERIGOS DE ALGUNS PROCESSOS O fumo, o sal, o vinagre, o acar e a seca so processos antigos e ainda hoje utilizados na conservao dos alimentos. No entanto, tambm podem trazer perigos para a sade: o fumo pode ser cancergeno o sal em excesso pode provocar hipertenso, ateroesclorose e cancro do estmago o acar perigoso para a diabetes a seca pode ser contaminada com microorganismos

OS SEGREDOS DA CONGELAO A congelao o sistema mais simples e natural de conservar os alimentos. Se se seguirem algumas regras, os alimentos mantero todas as suas propriedades e valor nutritivo.

CONSERVAO DOS ALIMENTOS As tcnicas de conservao alimentar evitam contaminao e a deteriorao dos alimentos. Destacam-se: a

Para alm destes processos, existem os aditivos, j referidos anteriormente. Sero talvez, o processo de conservao dos alimentos com mais efeitos prejudiciais sade.

CONCLUSO O uso de aditivos na indstria alimentar definido pela FOOD AND AGRICULTURE ORGANIZACION e pela ORGANIZAO MUNDIAL DE SADE. Os aditivos so considerados substncias sem valor nutritivo que se acrescentam aos alimentos, em pequenas quantidades, para melhorar o sabor e o seu aspecto. O seu uso bastante polmico e deve-se sempre verificar se os aditivos referidos nas embalagens fazem parte das listas das organizaes que os determinam. Alguns deles so realmente perigosos para a sade. Os processos de conservao dos alimentos referidos, permitem ao consumidor prolongar o tempo de conservao dos alimentos, sem que estes percam os seus nutrientes e o sabor. Outra vantagem poder-se utilizar os alimentos em qualquer altura, e at reduzir o tempo de preparao das refeies. Actualmente, o melhor processo de conservao dos alimentos a congelao.

BIBLIOGRAFIA Sade e Bem-Estar, n 54 e 58, Outubro e Dezembro de 1998, Edies Represse Vida Humana, Cincias Naturais, 8 ano, Amparo Dias da Silva, Fernanda Gramaxo, Maria Ermelinda Santos, Almira Fernandes Mesquita, Ludovina Baldaia, Porto Editora, 2000 O Mistrio da Vida, Cincias Naturais, 8 ano, Jos Augusto Batista, Helena Vaz Domingues e Marlia Serrano Sobral, Texto Editora, 1999

INTRODUO Este trabalho subordinado ao tema Os aditivos alimentares e os modos de conservao dos alimentos. Para a sua elaborao foram consultadas duas revistas especficas da rea da sade, o manual utilizado na disciplina de Cincias da Natureza, bem como outro manual da mesma rea. Com este trabalho pretende-se dar uma ideia alargada sobre o assu