Acampamento na noite de primeiro de abril – A panela de dinheiro e outros Contos Fantásticos e de...

download Acampamento na noite de primeiro de abril – A panela de dinheiro e outros Contos Fantásticos e de Imaginação

of 120

Embed Size (px)

description

Tem medo... de quê?

Transcript of Acampamento na noite de primeiro de abril – A panela de dinheiro e outros Contos Fantásticos e de...

  • 1. Acampamento na noite de primeiro de abril A panela de dinheiro e outros Contos Fantsticos e de Imaginao Marcio Jos de Lima Sumrio Acampamento na noite de primeiro de abril - A panela de dinheiro...............................................................................2 Uma Noite Solitria..........................................................15 Boneco de Neve................................................................27 Um grito na escurido......................................................37 O tempo............................................................................42 Era, com certeza, um lobisomem!....................................44 A lenda..............................................................................48 O Boitat...........................................................................53 Eu e eu mesmo.................................................................67 Leo (desertos...)..............................................................71 O Mercador da Liberdade.................................................75 Um homem cado no cho................................................82 Mais um Cristo cado na rua.............................................86 Perdido em Curitiba..........................................................90 Borboleta........................................................................101 O Achado Misterioso......................................................107 1
  • 2. Acampamento na noite de primeiro de abril A panela de dinheiro e outros Contos Fantsticos e de Imaginao Marcio Jos de Lima Apresentao O presente trabalho trata-se de uma coletnea de Contos Fantsticos publicados nos Jornais Folha do Xagu, Folha do Iguau, Recanto das Letras e no blog Devaneios Literrios do Lima. A grande maioria dos textos de contos fantsticos em que a imaginao correu solta, principalmente habitada por histrias ouvidas de seus pais e parentes de mais idade. O elemento medo foi explorado e rendeu alguns contos interessantes. Nossos medos... o quanto eles criam fantasias... quantas histrias rendem. Talvez escrever, ou cont-los seja uma das formas de super-los. E, contribuir para que outros superem. Mas at l, podemos nos divertir muito, pelo elemento fantstico. Teve-se nesta compilao a participao da Professora Jaqueline a qual contribuiu com a presente com o 2
  • 3. Acampamento na noite de primeiro de abril A panela de dinheiro e outros Contos Fantsticos e de Imaginao Marcio Jos de Lima conto Perdido em Curitiba. Marcio Jos de Lima, nasceu em Guarapuava, funcionrio pblico, principiou na literatura com seu livro Devaneios em Prosa publicado pela Editora UNICENTRO em 2011. Formou-se em Letras para superar sua dificuldade de comunicao, principalmente no que dizia respeito produo textual. Desejo a todos uma boa leitura! O autor. Contato com o autor pelo e-mail: marciojotadelima@gmail.com 3
  • 4. Acampamento na noite de primeiro de abril A panela de dinheiro e outros Contos Fantsticos e de Imaginao Marcio Jos de Lima Acampamento na noite de primeiro de abril - A panela de dinheiro Todos ali sobre o lmen da fogueira regateira que iluminava o rosto de todos. Pequenas histrias saam do povo que se exibia pelos sustos vividos pelas pseudoexperincias vividas. Tio Jango o mais eloquente dos contadores de histrias se exibia por ter sido testemunha de muitas. A mais surpreendente foi a que viveu em uma de suas viagens pelo mundo. Dizia ele: 4
  • 5. Acampamento na noite de primeiro de abril A panela de dinheiro e outros Contos Fantsticos e de Imaginao Marcio Jos de Lima - Olha amigos. Com os olhos arregalados de quem havia se assustado muito pelo testemunho ocular de algo assustador. - No quero por medo em vocs. Mas, existe muita coisa que ns no imaginamos nesta vida... Tudo o que narrei at aqui, foi verdade. Todavia, uma de minhas histrias, tem o tempero do inimaginvel. Isso aconteceu em 1975, quando contava com 18 anos. Fiquei sabendo de uma panela de dinheiro enterrada em um descampado perto da Serra do Rio Jordo. 5
  • 6. Acampamento na noite de primeiro de abril A panela de dinheiro e outros Contos Fantsticos e de Imaginao Marcio Jos de Lima Que teria sido enterrada pelos Jesutas aproximadamente em 1750. Ali no havia runas das Misses. Sabamos no por mapas, nem por histrias de hipteses do ocorrido pelo descentes da regio. E sim, pelo que muitos j haviam vivido quando passavam por aquelas aragens, principalmente nas noites de lua cheia do ms de agosto. Quando uma das vtimas foi assombrada por uma tribo fantasma que implorava que fosse desenterrado aquilo que os prendiam ali... Uma caarola de barro carregada de moedas de ouro. Este sobrevivente sbrio, que teve a 6
  • 7. Acampamento na noite de primeiro de abril A panela de dinheiro e outros Contos Fantsticos e de Imaginao Marcio Jos de Lima sensibilidade de encarar aquilo como verdade, convocou-me para aquela empreitada, pois sabia que eu era homem que acreditava naquilo por j ter vivido muitas histrias que a maioria das pessoas no acredita. E de pronto, aceitei, por tambm acreditar naquele homem que merecia todo meu crdito. - Amigos... samos com ps, picaretas, enxadas, dois rosrios em cada bolso e nosso santinho de devoo. Pois, sabamos que teramos que rezar muito. O que ali ganhssemos teramos que repartir parte com quem realmente precisava para abeno-lo. Esta era a regra 7
  • 8. Acampamento na noite de primeiro de abril A panela de dinheiro e outros Contos Fantsticos e de Imaginao Marcio Jos de Lima bsica para quem era caador experiente de panelas de dinheiro. Chegamos ao local em uma noite muito lmpida. No estava frio, embora a nossa regio seja considerada uma das mais frias do sul, aqueles anos o inverno era terrvel, como vocs sabem, mas apesar disso aquela noite estava agradvel. Deixamos nossos carros na estrada, pois no dava para chegar de carro at l. Pulamos uma cerca de arame. E poucos metros depois, escutamos algo estranho. Paramos. Parecia um mugido. Mas, no enxergamos nada. Ento, seguimos nosso destino. Como saberamos o local? Meu amigo 8
  • 9. Acampamento na noite de primeiro de abril A panela de dinheiro e outros Contos Fantsticos e de Imaginao Marcio Jos de Lima narrou que era prximo a um velho ip. Seria naquele local aproximadamente. Teramos que trabalhar a noite inteira at o amanhecer. Pois, pela lenda, diz-se que tem que retir-la at o por do sol. Ento teramos que nos apressar. Chegamos ao assustador ip. Digo isso, por que naquele momento o achava assim. Ele j foi fazendo um buraco sem ao menos pensar, tive a impresso de sabia onde era. Poucas pazadas, desistiu. Eu, confesso. Fiquei naquele momento somente olhando e pensando. Onde ser ao certo? No havia uma lgica para aquilo. Mas... era jovem. No me 9
  • 10. Acampamento na noite de primeiro de abril A panela de dinheiro e outros Contos Fantsticos e de Imaginao Marcio Jos de Lima importaria em viver aquela loucura. Comecei a cavocar usando minha lgica. Se tiver prximo do tesouro, algo ocorrer. Depois de um certo tempo, de quase limpar a grama que cercava o ip, ocorreu algo muito estranho. O barulho do boi voltou. Paramos... olhamos para os lados e no havia nada. Conclumos que a era a pista que espervamos. Comeamos a aprofundar nossa procura. Fizemos um buraco de dois passos quadrados. Quando j estava pelo nosso joelho, outros brulhos de bichos se juntaram ao mugido do boi. Agora haviam porcos e cachorros. 10
  • 11. Acampamento na noite de primeiro de abril A panela de dinheiro e outros Contos Fantsticos e de Imaginao Marcio Jos de Lima Alm do barulho de arbusto quebrando. Mas... no haviam arbustos ali. Era s um descampado. O tempo comeou a fechar. E, em um repente, comeou a chover com muitos raios e troves. Choveu com vento. E sombras horrveis assombraram nossa noite. Ouvimos o canto da tribo em uma lngua que no conhecamos. Mas medida que ns afundvamos nosso buraco o canto tornou-se uma cano religiosa ou pelo menso parecia assim - com sotaque parecido com o portugus e algo perto do castelhano. Sentimos cheiro de erva-mate queimada. Chegou ao auge da 11
  • 12. Acampamento na noite de primeiro de abril A panela de dinh