3. Equipamentos

Click here to load reader

  • date post

    01-Dec-2015
  • Category

    Documents

  • view

    25
  • download

    2

Embed Size (px)

Transcript of 3. Equipamentos

  • 18

    Curso de Formao de Sargentos Bombeiros CFS

    2011

    CAPTULO 3

    EQUIPAMENTOS

    1.0 DESENCARCERADOR HIDRULICO DE RESGATE (R$ ____________ )

    O desencarcerador um conjunto de equipamentos hidrulicos capaz de possibilitar

    acesso e extrao de vtimas encarceradas, que, devido a um acidente, encontra-se

    incapacitada de sair pelos seus prprios meios, quer devido a leses sofridas quer por estar

    presa pelos materiais envolventes.

    1.1 TESOURAS

    - As tesouras empregam-se para

    cortar totalmente os componentes

    dos veculos com a finalidade de

    retirar certas zonas do mesmo.

    Adicionalmente, podem ser

    empregues para realizar cortes de

    alvio que permitem o afastamento

    de alguns componentes do veculo

    ou em operaes de levantamento

    do teto.

    1.2 EXPANSOR

    - Os expansores tm trs funes

    principais: comprimir, separar e

    tracionar. Os expansores podem

    apertar ou comprimir o metal para

    criar pontos de franzido dbeis ou

    reas para corte, alm disso,

    podem separar componentes que

    no estejam unidos. A terceira

    funo realiza-se usando umas

  • 19

    Curso de Formao de Sargentos Bombeiros CFS

    2011

    pontas com adaptadores para

    correntes os quais permitem que o

    expansor aproxime objetos at ao

    seu ponto de fora.

    1.3 MULTIUSO

    - O multiuso uma ferramenta de

    ao dupla, permitindo a funo de

    corte e a execuo das tcnicas

    efetuadas com o expansor.

    Normalmente esta ferramenta, visto

    ser uma combinao, possui uma

    potncia inferior, quer no

    afastamento quer na capacidade de

    corte.

    1.4 EXTENSOR (MACACO DE SEPARAO)

    O extensor faz uso da sua fora

    mediante potentes pistes

    hidrulicos e aplicam-se

    principalmente para separar

    componentes do veculo ou para

    criar espaos adicionais.

  • 20

    Curso de Formao de Sargentos Bombeiros CFS

    2011

    1.5 BOMBAS HIDRULICAS / GRUPO ENERGTICO

    Equipamento fundamental para a

    utilizao das ferramentas

    hidrulica, a bomba hidrulica

    pode ser acionada com motores a

    gasolina, eltricos ou a diesel (no

    CBMMG utiliza-se motores a

    gasolina). Gera presso que pode

    atingir a ordem de 700 bar,

    proporcionando um fluxo

    hidrulica capaz de transmitir

    fora de trabalho para as

    ferramentas. Podem operar

    simultaneamente duas ou mais

    ferramentas (conforme o modelo).

    Na base dos motores da bomba hidrulica existe um recipiente que funciona como

    reservatrio de leo hidrulico. Tal componente ser injetado no interior das mangueiras de

    presso (geralmente vermelha) no momento do corte. Todo cuidado deve ser redobrado, pois o

    leo que circula no interior dessas mangueiras, alm de estar pressurizado est aquecido, o

    que pode ocasionar srios ferimentos ao operador e aos demais militares que participam da

    ocorrncia. http://soubombeiro.blogspot.com/2010/03/acidente-com-desencarcerador.html

    Outro ponto de bastante ateno est em no arrastar as mangueiras em superfcies

    speras, assim como as conexes. Aps a utilizao efetuar a limpeza com um pano seco.

  • 21

    Curso de Formao de Sargentos Bombeiros CFS

    2011

    2.0 ALMOFADAS PNEUMTICAS (R$ ____________ )

    um equipamento com alta capacidade de levantamento de cargas (veculos) ou

    afastamento de estruturas (desmoronamento - lajes, paredes, pilares) durante uma

    operao de salvamento.

    O ar comprimido em cilindros canalizado para seu interior, proporcionando fora

    suficiente para elevar toneladas de forma rpida de segura. Sua leveza e praticidade

    (transporte e montagem) lhe garante grande versatilidade.

    Apesar de existirem vrios modelos de almofadas no mercado, todas possuem

    caractersticas comuns, como um X no centro, indicando o local correto de

    posicionamento da almofada na carga, o que garantir o mximo deslocamento e uma

    melhor estabilidade.

    2.1 COMPOSIO:

    1 3

    2 4

    5

  • 22

    Curso de Formao de Sargentos Bombeiros CFS

    2011

    1 - Cilindro de ar comprimido de ao ou fibra de carbono;

    2- Conjunto regular de Presso de ar contendo 2 (dois) manmetros;

    3- Mangueiras de alta presso com 5m comprimento, equipadas com conexes

    rpidas.

    4- Console de comando de ar.

    5- Almofadas pneumticas ou bolsas de ar construdas em neoprene resistente com

    no mnimo 3(Trs) camadas de malha de Kevlar* ou Neoprene** reforadas com ao,

    possuindo uma etiqueta em alto relevo com as seguintes, informaes:

    *A KEVLAR, uma fibra de aramida*** da famlia dos polmeros feitos com poliamidas aromticas, possui uma

    estrutura de cadeia molecular excepcionalmente rgida, oferecendo incomparvel resistncia trao, a

    impactos e com estabilidade trmica diferenciada para temperaturas que variam de 40C a 130C.

    **NEOPRENE possuem caracterstica isotrmica, evitando que o corpo dissipe o calor.

    ***A fibra de aramida concilia grande resistncia, rigidez e baixo peso especfico permitindo o uso de menos

    material para se obter as mesmas caractersticas mecnicas; resistente a rachaduras; aumenta a rigidez da

    estrutura; possui alta absoro de energia e baixo alargamento; no corri em gua doce nem salgada e

    incombustvel.

    2.2 CAPACIDADE:

    A capacidade ir variar com a dimenso da almofada, conforme demonstrado nos

    grficos e tabela abaixo:

    Capacidade de levantamento (t);

    Altura mxima (mm);

    Dimenses (comprimento x largura) mm e

    Espessura

  • 23

    Curso de Formao de Sargentos Bombeiros CFS

    2011

    KPI 12 KPI 17 KPI 22 KPI 32 KPI 35

    Capacidade de elevao (Ton) 12 17 21,8 31,8 34,7

    Comprimento (mm) 381 533 508 609 1066

    Dimenses Largura (mm) 381 381 508 609 381

    Espessura (mm) 17,8

    Altura de elevao (mm) 208 233 282 333 249

    Presso de trabalho (lbs) ou (bar) 118 ou 8,13

    Presso de teste (lbs) ou (bar) 236 ou 16,27

    Presso de ruptura (lbs) ou (bar) 700 ou 48,26

    Peso (kg) 2,7 4,1 5,5 8,2 8,2

    Tempo de elevao (seg)

    3

    4 7 11 12

    Para saber qual a almofada a ser utilizar, deve aplicar a Lei de Pascal:

    P= F / A ou F = P x A

    P - Presso

    F - Fora de Elevao e

    A - Superfcie de Aplicao da Fora

    2.3 OPERAO:

    Antes de iniciar a operao, importante que todos os bombeiros que estiverem

    operando o equipamento estejam usando os EPIs adequados, como: capacete, culos de

    proteo, luvas, botas, etc. Deve-se avaliar cuidadosamente o que ser feito, determinando

    o peso e o tamanho a ser movimentado, sempre garantindo o mximo contado entre a

    almofada e a carga.

    2.3.1 SEQUNCIA DE MONTAGEM E CUIDADOS:

    a) Ao montar o sistema, inicie pelas almofadas em direo ao cilindro, pois o sistema

    somente poder ser pressurizado quando acabar a montagem, e para desmontar, do

    cilindro em direo a almofada;

    b) Cuidado com superfcies, pontiagudas, presena de objetos cortantes, produtos

    qumicos corrosivos, temperaturas acima de 57,2C, fatos que podero danificar a

    DIANTE DE

    TANTAS

    ALMOFADAS,

    QUAL

    UTILIZAR?

  • 24

    Curso de Formao de Sargentos Bombeiros CFS

    2011

    almofada, colocando em risco a operao, devendo ser colocados calos entre a

    almofada e a superfcie a ser movimentada;

    c) Cuidado com o acmulo de terra, graxa, lquidos oleosos, superfcies instveis, que

    podero provocar o deslizamento da almofada no momento que for inflada;

    d) Durante a insuflao das almofadas, evitar ficar posicionado na direo das

    conexes;

    e) Respeitar a capacidade mxima de cada modelo de almofada;

    f) Sempre isolar o local, no permitindo que pessoas estranhas se aproximem do

    equipamento;

    g) Manter todos os registros fechados, abrir somente durante a utilizao;

    h) Fazer as desconexes somente com o equipamento despressurizado;

    i) No empilhar mais de duas almofadas;

    j) No exceder a presso de enchimento de 8 bar(118 PSI).

    SENTIDO DE MONTAGEM: ALMOFADA CILINDRO SENTIDO DE DESMONTAGEM: CILINDRO ALMOFADA

  • 25

    Curso de Formao de Sargentos Bombeiros CFS

    2011

    2.3.2 CUIDADOS PARA BOA UTILIZAO

    a) Evitar o choque das conexes das mangueiras, das almofadas e das vlvulas

    reguladoras de ar, pois se forem danificadas, podero dificultar no momento do

    engate;

    b) Sempre inspecionar visualmente o local a ser colocado as almofadas, para verificar a

    existncia de algum material que possa danificar ou por em risco a operao;

    c) No empilhar mais de

    duas almofadas, por questes de segurana, quando utilizar deste recurso, a

    almofada que ficar na parte inferior dever ser a de maior capacidade e nunca

    exceder a capacidade da menor, posicionando as almofadas de forma centralizada,

    obedecendo ao X demarcado nas mesmas;

    Quando forem empilhadas duas almofadas, a almofada que ficar embaixo dever ser inflada at que a almofada de cima encoste no objeto a ser movimentado, somente ento a segunda almofada dever ser inflada;

  • 26

    Curso de Formao de Sargentos Bombeiros CFS

    2011

    d) Quando duas almofadas forem colocadas lado a lado, a capacidade de levantamento

    ser a soma da capacidade das mesmas, se for col