07 Caracteriza§£o T©cnica do .estudo foi desenvolvido por Leonardo Figueiredo de...

download 07 Caracteriza§£o T©cnica do .estudo foi desenvolvido por Leonardo Figueiredo de Meneses, CREA-PB

of 48

  • date post

    27-Jun-2019
  • Category

    Documents

  • view

    216
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of 07 Caracteriza§£o T©cnica do .estudo foi desenvolvido por Leonardo Figueiredo de...

  • COMPLEXO ECOTURSTICO RESERVA GARA CONDE / PB ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL (EIA) VOL I / TOMO A

    - 7.1

    7. CARACTERIZAO DO EMPREENDIMENTO

    7.1. FASES DO EMPREENDIMENTO

    O empreendimento COMPLEXO ECOTURSTICO RESERVA GARA ser desenvolvido em trs fases, compreendendo: a de estudos e projetos, implantao, e a fase de operao do empreendimento, ou seja, o funcionamento propriamente dito. O Quadro 7.1 mostra o fluxograma das etapas de desenvolvimento do projeto.

    7.1.1. Estudos e Projetos Bsicos

    A fase de estudos e projetos bsicos inclui os levantamentos e estudos bsicos, tais como: topogrfico, geotcnico, arqueolgico e hidrogeolgico, anlise sobre a viabilidade econmica do empreendimento, o projeto bsico de arquitetura e urbanismo, projetos estruturantes como esgotamento sanitrio, abastecimento de gua, pavimentao e drenagem das guas pluviais e os estudos ambientais. Cada um desses itens estar descrito nos tpicos subsequentes.

    7.1.1.1. Levantamento Topogrfico

    O levantamento topogrfico visou definir a demarcao da poligonal de fechamento da rea, o clculo da rea superficial da propriedade de interesse do empreendimento COMPLEXO ECOTURSTICO RESERVA GARA e a definio do seu modelado topogrfico. O estudo foi desenvolvido por Leonardo Figueiredo de Meneses, CREA-PB N 1600355234.

    A planta do Levantamento Planialtimtrico apresentada no Volume III Anexos.

    7.1.1.2. Estudos Geotcnicos

    O estudo geotcnico visou a determinao dos tipos de solo e suas respectivas profundidades de ocorrncia, simbologia das amostras, posio do nvel dgua, ndices de resistncia penetrao (NSPT), cota do furo em relao a um RN adotado e demais informaes pertinentes. O estudo foi realizado pela CONCRESOLO Consultoria em Concreto e Solos Ltda., tendo como responsvel tcnico Valds Borges Soares, CREA N 797 D/PB.

  • COMPLEXO ECOTURSTICO RESERVA GARA CONDE / PB ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL (EIA) VOL I / TOMO A

    - 7.2

    Quadro 7.1 Fluxograma das Etapas de Desenvolvimento do Projeto COMPLEXO ECOTURSTICO RESERVA GARA CONDE/ PB

    Fases e Componentes do Projeto

    - ESTUDOS E PROJETOS BSICOS LEVANTAMENTO TOPOGRFICO ESTUDOS GEOTCNICOS ESTUDOS HIDROGEOLGICOS ESTUDO DE VIABILIDADE ECONMICA ESTUDOS AMBIENTAIS PROJETO BSICO DE ARQUITETURA E URBANISMO PROJETOS DOS EQUIPAMENTOS DE INFRAESTRUTURA BSICA

    - IMPLANTAO CONTRATAO DE CONSTRUTORA / PESSOAL INSTALAO DO CANTEIRO DE OBRAS MOBILIZAO DE EQUIPAMENTOS AQUISIO DE MATERIAIS LIMPEZA DA REA / SUPRESSO VEGETAL TERRAPLENAGEM/PAVIMENTAO/DRENAGEM SISTEMA DE ABASTECIMENTO DGUA SISTEMA DE ESGOTAMENTO SANITRIO SISTEMA DE ELETRIFICAO SISTEMA DE TELEFONIA SISTEMA DE GESTO DE RESDUOS SLIDOS EDIFICAES E CONSTRUO CIVIL PAISAGISMO/ARBORIZAO DESMOBILIZAO E LIMPEZA GERAL DA OBRA

    - OPERAO CONTRATAO DE EMPRESAS / SERVIOS AQUISIO DE EQUIPAMENTOS AQUISIO DE MERCADORIAS DE CONSUMO FUNCIONAMENTO DOS ESTABELECIMENTOS SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE GUA SISTEMA DE ESGOTAMENTO SANITRIO SISTEMA VIRIO / TRANSPORTES DRENAGEM DAS GUAS SUPERFICIAIS GESTO DOS RESDUOS SLIDOS

    Metodologia

    No incio da Sondagem SPT, o avano da perfurao feito com trado concha de 4" e instalao de tubo de revestimento. Atingindo-se o lenol fretico, material muito resistente ou mesmo solo no aderente ao trado, o processo de perfurao passa a ser

  • COMPLEXO ECOTURSTICO RESERVA GARA CONDE / PB ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL (EIA) VOL I / TOMO A

    - 7.3

    com circulao de gua utilizando-se trpano de lavagem como ferramenta de escavao. Utiliza-se lama de estabilizao (bentonita) na ocorrncia de furo instvel.

    A cada metro de profundidade, interrompe-se a perfurao e executado o ensaio de penetrao (SPT). O ensaio fornece os ndices de resistncia penetrao do solo, que so obtidos atravs da anotao dos nmeros de golpes necessrios para fazer o amostrador padro (ext 2"; int 13/8") penetrar 45 cm no solo devido aos golpes de um martelo de 65 kg caindo de uma altura de 75 cm. Os 45 cm de penetrao so divididos em trs trechos de 15 cm. Em cada um so anotados os nmeros de golpes de cravao do amostrador. O ndice de resistncia penetrao (NSPT) a soma dos dois ltimos trechos de 15 cm, isto , dos 30 cm finais de cravao. Seu resultado apresentado na forma de um grfico ao longo da profundidade.

    As amostras de solo so coletadas desde o incio do furo e so recuperadas dentro do amostrador. Devem ser representativas dos materiais atravessados e livres de contaminao. So acondicionadas em caixas para o transporte e armazenagem em laboratrio.

    O ensaio paralisado como limite de sondagem no caso de profundidade definida a priori, ou de acordo com os critrios de paralisao de resistncia do solo. Na condio em que no possvel o avano da perfurao o ensaio paralisado e definido como impenetrvel percusso.

    Os furos so nivelados em relao a um RN admitido na cota 0,00 m, e indicado na planta de locao.

    Resultados

    Os resultados dos ensaios de sondagens SPT na forma de perfis geotcnicos individuais, bem como a planta de localizao das sondagens e posio da referncia de nvel (RN), encontram-se no Volume III - Anexos

    7.1.1.3. Estudos Hidrogeolgicos

    O Estudo Hidrogeolgico visa a definio do potencial hdrico explorvel da rea do empreendimento e foi realizado pela Engpred Engenharia e Instalaes Prediais Ltda., tendo como responsveis tcnicos o Gelogo Ricardo Santiago Brando, CREA N 16.03.05.68-90 e o Engenheiro Evandro Csar de Lima Ferreira, CREA N 16.03.55.76-10.

  • COMPLEXO ECOTURSTICO RESERVA GARA CONDE / PB ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL (EIA) VOL I / TOMO A

    - 7.4

    Geologia da rea

    A rea em apreo est inserida na Micro Regio Litoral Paraibano, estando geologicamente situada na Bacia Sedimentar Pernambuco-Paraba. Sua estrutura de um homociclinal com mergulho suave em direo Leste, possuindo uma largura mdia de 25 km e uma profundidade de at 400 metros.

    Localmente esta bacia constituda por sedimentos de origem continental e marinha, recebendo o nome de Grupo Paraba; encobrindo esta formao encontramos o Grupo Barreiras que aflora em quase toda parte costeira do Estado.

    Hidrogeologia da rea

    O maior interesse Hidrogeolgico recai sobre o Grupo Paraba, principalmente na Formao Itamarac/Beberibe, que assenta sobre o embasamento cristalino possuindo uma espessura mdia de 200 metros. Esta Formao possui na base arenitos conglomerticos friveis, enquanto na parte mais superior passa a predominar arenitos finos, calcfero de colorao acinzentada. A alimentao deste aqufero feita principalmente ao longo de sua extensa rea de exposio, e uma alimentao indireta atravs de infiltrao vertical do fretico. A Permeabilidade mdia encontrada de 2x10-5m/seg. e transmissibilidade de 2x10-3 m/seg.

    A Formao Gramame pertencente tambm ao Grupo Paraba, possui espessura mdia de 50 metros, constituda basicamente por calcrios, arenito calcfero, calcarenitos, intercalados com lentes de argila. Possui pouca expresso Hidrolgica no abastecimento das comunidades devidas apresentarem uma gua com dureza elevada e s vezes odores indesejveis.

    A Formao Barreiras no apresenta boas caractersticas hidrogeolgicas para atender as demandas requeridas.

    A formao de maior importncia hidrogeolgica na bacia costeira PE/PB o aqufero Beberibe, que se encontra pouco explorado na rea do COMPLEXO ECOTURSTICO RESERVA GARA, quando comparados as reas metropolitanas como Recife e Joo Pessoa.

    Os elementos da potencialidade, reserva explorvel e disponibilidade hdrica da Bacia Litornea, citados a seguir so frutos de um trabalho hidrogeolgico recente (2008), realizado pelo Ministrio da Integrao Nacional denominado ESTUDO DE CARACTERIZAO E VERIFICAO DA DISPONIBILIDADE HDRICA DA VERTENTE LITORNEA DO ESTADO DA PARABA.

    Potencialidade - 650 x 106 m/ano (20,61 m/s)

  • COMPLEXO ECOTURSTICO RESERVA GARA CONDE / PB ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL (EIA) VOL I / TOMO A

    - 7.5

    Reserva Permanente - 81,93 x 109 m

    Reserva Reguladora = Potencialidade - 650 x 106 m/ano

    Disponibilidade - 390 x 106 m/ano (12,37 m/s)

    Disponibilidade Instalada - 162,10 x 106 m/ano (5,14 m/s)

    Aqufero Beberibe

    Disponibilidade Instalada Total - 180,72 x 106 m/ano (5,73 m/s) (Aquferos Barreiras e Beberibe)

    As vazes previstas para suprir os condomnios e as glebas so apresentadas no Quadro 7.2.

    Quadro 7.2 Vazo de Explorao dos Poos Tubulares a Serem Perfurados COMPLEXO ECOTURSTICO RESERVA GARA CONDE/ PB

    Poo Tubular Profundo (m) Vazo de Explorao (m/h) Local

    120,0 10,0 CONDOMNIO 2 CONDOMNIO 3

    GLEBA 5

    150,0 15,0 CONDOMNIO 4

    GLEBA 1

    170,0 20,0

    CONDOMNIO 1 GLEBA 2 GLEBA 3 GLEBA 6

    Fonte: Memorial descritivo.

    O Estudo Hidrogeolgico, bem como os projetos construtivos para os referidos poos e as especificaes tcnicas para construo, encontram-se no Volume II Anexos.

    Concluses

    O Estudo Hidrogeolgico efetuado na rea conclui que a captao de gua subterrnea atravs de poo tubular profundo a melhor soluo tcnica e econmica para o abastecimento d`gua do empreendimento COMPLEXO ECOTURSTICO RESERVA GARA.

    O melhor aqufero e de maior importncia local e protegido de contaminao a Formao Beberibe, que possui capacidade suficiente para suprir o abastecimento local com gua de boa qualidade para o consumo humano, e que se encontra dentro dos

  • COMPLEXO ECOTURSTICO RESERVA GARA CONDE / PB ESTUDO DE IMPACTO AMBIENTAL (EIA) VOL I / TOMO A

    - 7.6

    padres de potabilidade estabelecidos tanto pela ABNT como pela Organizao Mundial de Sade.

    7.1.1.4. Estudo de Viabilidade Econmica

    A situao atual do desenvolvimento turstico da rea geogrfica na qual se localiza o projeto se reflete em grandes oportunidades.